aniversario
f1

Nova modalidade do crime organizado em roubo de caminhões



Até o mês de outubro, foram registrados 3467 roubos e 1124 furtos de caminhões no estado de São Paulo, segundo a Secretaria de Segurança Pública. Com base nos dados extraídos do Registro Digital de Ocorrências do Estado, o Boletim Tracker-Fecap apresenta um estudo sobre os locais e horários de maior incidência destes delitos e traz uma análise sobre as tendências deste tipo de crime.

O Boletim Econômico Tracker-Fecap é fruto de uma parceria entre o Grupo Tracker e a Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado.

A incidência de roubo de veículos pesados em outubro passado foi 9% maior do que no mesmo período de 2016. Os caminhões apresentam uma queda no registro de roubos, já os caminhões tratores registram altas.

“Este apontamento pode significar uma mudança no perfil do empresário do crime. O caminhão trator aparece como uma possibilidade para os criminosos transportarem veículos pesados, como no caso de maquinários agrícolas ou grandes carretas”, segundo o analista de Inteligência de Mercado do Grupo Tracker, Frederico Augusto Lanzoni.

A cidade de São Paulo concentra a grande maioria dos roubos de caminhões, com quase 33% das ocorrências. Já as ocorrências envolvendo caminhões trator estão mais pulverizadas pelo estado. “Observando os resultados, é cada vez mais latente a percepção de que o Agronegócio e os equipamentos do campo ganham relevância para o mundo do crime”, afirma Lanzoni.

“O setor do agronegócio tem respondido bem à crise, atuando como motor propulsor da economia, gerando empregos e riquezas. Um prato cheio para criminosos que se aproveitam das regiões afastadas da metrópole para desempenhar suas atividades ilegais e potencialmente lucrativas”, diz o professor de Economia e coordenador do Departamento de Estudo e Pesquisa sobre Economia do Crime (DEPEC-FECAP), Erivaldo Costa Vieira.

Furto

Os furtos de caminhão e caminhão trator apresentam comportamentos diferentes das ocorrências de roubo. Segundo os dados de outubro de 2017, observa-se que há uma queda de 4% no número de eventos de furto, em relação ao mesmo mês do ano anterior, o que aponta para maior utilização de violência na execução dos crimes envolvendo caminhões.

Com relação aos locais de maior incidência de furtos, a capital paulista também lidera, com 21,52% do total de caminhões subtraídos no Estado. Nas demais cidades do “TOP 10 Furtos” não há um destaque individual, sendo os valores muito pulverizados. Já na análise dos eventos envolvendo caminhão trator, o percentual na cidade de SP cai para 12%.

Dia, noite ou madrugada?

Na modalidade roubo, a maioria dos eventos com caminhões ocorre na parte da manhã (40,1%). Já sob a ótica dos caminhões tratores, os roubos se concentram na madrugada (30,1%) e de noite (28,6%).

Os furtos de caminhões acontecem principalmente na madrugada, seguido pelo período da manhã. E os furtos de caminhões tratores ocorrem com predominância em horários incertos. “Provavelmente por ser um perfil de veículo que é assaltado em momento de descanso do motorista é difícil mensurar o horário do furto”, avalia Lanzoni. A parte da madrugada vem logo em seguida, como período do dia em que mais ocorrem crimes envolvendo este tipo de veículo.

Roubo de cargas

De acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o roubo de cargas no Estado se manteve estável em outubro, com tendência de queda nos 12 meses anteriores. Em relação ao mês de setembro, outubro apresentou crescimento de 12% nas ocorrências envolvendo roubos de carga.

fonte:revista apólice