Copa 2018
aniversario
f1

10 hábitos ruins ao volante que podem dar multa e até causar acidentes

Dirigir é uma atividade corriqueira para a maioria dos motoristas. Por isso, são grandes as chances de o condutor perder a concentração. Pode ser o telefone celular, o rádio ou até comendo enquanto se dirige.

"Existem três tipos de distrações no trânsito: internas (como mudar a estação do rádio ou até conversar), externas (procurar um endereço ou ler placas) e as desatenções, que ocorrem quando o motorista simplesmente está distraído pensando em outra coisa em vez de prestar atenção", explica Alessandro Rubio, coordenador técnico do CESVI Brasil.

A seguradora Liberty realizou um estudo para identificar algumas das atitudes mais perigosas dos motoristas no trânsito. Os dados foram coletados por um aplicativo que utiliza a tecnologia de telemetria (comunicação sem fio que analisa informações coletadas por mídias como celulares, mesmo se o aparelho estiver bloqueado) para analisar a forma de dirigir de cada motorista.

A análise foi feita todos os dias da semana entre 7h e 10h da manhã em mais de 10 mil viagens. Aproveitamos a realização deste levantamento para listar 10 atitudes que podem parecer inofensivas para algumas pessoas, mas que rendem problemas sérios para motoristas e pedestres.


1. Usar telefone celular




Eis uma das atividades mais perigosas. Quem é flagrado conversando ou mandando mensagens comete infração gravíssima, com multa de R$ 293,47 e recebendo sete pontos na CNH.

Embora tenha ocorrido em apenas 15% dos casos avaliados pela Liberty, a atitude pode ser mais perigosa que nas demais ocorrências, já que o motorista desvia sua atenção por alguns instantes -- suficientes para causar acidente.

"Alguns estudos feitos na Europa indicam que a maioria dos acidentes acontece por culpa do próprio motorista. Escrever mensagens de texto, por exemplo, pode aumentar as chances de acidente em até 23%. Até conversar na função viva voz aumenta a distração em 50%, ainda que seja menos perigoso do que falar diretamente pelo telefone celular", revela Rubio.

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) com estudantes de direção em um simulador de autoescola constatou que os motoristas levam de oito a nove segundos para atender uma ligação. Se o veículo estiver trafegando a 80 km/h (velocidade abaixo do limite permitido nas marginais de São Paulo, de 90 km/h), o tempo é suficiente para percorrer duas quadras.

Se o motorista quiser responder uma mensagem de texto a distração será ainda maior: de 20 a 23 segundos, segundo cálculos da associação. Caso esteja a 60 km/h, o motorista percorre quatro quadras com a atenção dividida entre direção e celular.

Diante destas informações, não é difícil entender porque o uso de celular é a terceira maior causa de mortes de trânsito no Brasil, vitimando 150 motoristas por dia e 54 mil pessoas por ano.


Vale ressaltar que a situação se torna ainda mais perigosa no caso dos motociclistas que costumam prender o aparelho entre o rosto e o capacete. Isso porque, além da distração, aumenta o risco de escoriações e de lesões à face em caso de acidente.

2. Acelerar excessivamente



Andar com pressa não faz diferença em cidades congestionadas. Mesmo assim, o estudo da Liberty apontou que 21% dos motoristas abusam do acelerador.

Além de aumentar o risco de acidentes, acelerar demais pode dar multa e pontos na CNH caso você esteja viajando acima de 50% do limite da via. E pior: causa suspensão imediata do direito de dirigir e apreensão da carteira de habilitação.

Um estudo realizado pela OMS em 2017 aponta que o excesso de velocidade é o responsável por um em cada três acidentes de trânsito pelo mundo. De acordo com uma pesquisa feita pela Polícia Rodoviária Federal, o excesso de velocidade foi a causa de 10.420 acidentes que mataram 1.007 pessoas e deixaram 9.658 feridos no ano passado.


3. Frear bruscamente



O levantamento feito pela Liberty acusou que 51% dos motoristas avaliados realizaram frenagens bruscas em seu trajeto diário. Além de desgastar prematuramente o sistema de freios e reduzir a vida útil dos pneus, essa atitude também pode causar acidentes.

4. Comer ou beber



Apesar da imensa variedade de opções gastronômicas oferecidas no Brasil, com milhares de lojas com serviço drivethru -- termo em inglês que indica o local onde o cliente pode comprar um produto sem precisar sair do carro --, comer e beber em movimento pode ser não só passível de multa (depende da interpretação do oficial da CET, que pode concluir que o motorista deixa de utilizar uma das mãos), como também perigoso ao motorista.

"Comer e fumar são atividades que dobram as chances de acidentes, justamente pela necessidade de tirar uma das mãos do volante para realizar estas tarefas. O motorista também pode se distrair caso caiam restos de comida ou cinzas no banco, e é aí que pode acontecer o acidente", afirma Rubio.

Além disso, beber de uma lata ou garrafa pode fazer com que o condutor incline demais a cabeça para cima, perdendo o foco da via à frente, ao passo em que comer um sanduíche exige cuidados para não sujar o carro, o que tira ainda mais a atenção da estrada.


5. Fumar



O ato de fumar também entra na questão da não utilização das duas mãos. "O cigarro ainda pode cair, fazendo com que o motorista tenha mais segundos de distração", lembra o especialista Gerson Burin, do Cesvi.

Mesmo assim, é permitido fumar dentro do carro, pois não há uma lei específica no Código de Trânsito Brasileiro que indique explicitamente que acender um cigarro no interior do automóvel seja infração. O motorista que jogar a bituca pela janela, porém, pode ser multado em R$ 130,16 e ganhar quatro pontos na CNH por cometer uma infração média.


6. Dirigir sem óculos de grau ou lentes



Parece absurdo, mas muitos motoristas dispensam seus óculos de grau enquanto estão dirigindo. Segundo o artigo 162 do CTB, todo condutor com problema de visão (identificados na CNH, por uma observação relacionada à obrigatoriedade do uso de óculos ou lentes de contato) flagrado sem lentes corretoras comete uma infração gravíssima, cuja penalidade é multa no valor de R$ 293,47 e perda de sete pontos na carteira.

7. Maquiar-se ou arrumar o cabelo




Não há lei que proíba tal prática -- o costume, porém, também é passível de multa, exatamente como no caso da comida e do cigarro, pois depende de uma interpretação de um agente de trânsito, que pode considerar que o (a) motorista deixou de usar uma das mãos para se maquiar.

Mas fazer isso também pode ser perigoso, já que em alguns casos essa atitude exige utilização de até duas mãos, e se o carro estiver em movimento, pode expor ocupantes e até mesmo veículos mais próximos. "Fazer a maquiagem ou arrumar cabelo também podem aumentar em torno de 4,5% as chances de se acidentar", relata Rubio.

8. Dirigir sem calçados apropriados



O Código de Trânsito Brasileiro diz que o motorista deve usar sapatos bem fixados que não permitam uma eventual escapada espontânea do pé -- como tênis, sapatos, sandálias com fechos etc. Sapatos de encaixe (como os scarpin), chinelos e tamancos, por exemplo, podem interferir na condução e causar acidentes.

"Sem querer, o sapato pode entrar no conjunto de pedais e atrapalhar alguma das funções, comprometendo o uso", explica Burin. Escolher um calçado inapropriado para dirigir pode resultar em multa leve, três pontos na CNH e R$ 88,38. Se os sapatos estiverem te incomodando, fica o conselho: dirigir descalço é permitido.

9. Usar fones de ouvido



Utilizar fones nos ouvidos conectados à aparelhagem sonora é proibido, de acordo com o artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro, é infração passível de multa (média, quatro pontos e R$ 130,16). O mesmo vale, inclusive, para quem usa o acessório para conversar no celular

Mais importante que isso é o aumento das chances de acidentes causados por desatenção, já que reduzir o volume externo e se concentrar no áudio vindo do aparelho eletrônico reduz exponencialmente as possibilidades de o motorista deixar de ouvir ruídos vindos do trânsito (como a buzina de outro veículo), que em alguns casos pode ser de extrema importância.


10. Braço para fora



Braço para fora é infração de trânsito, segundo o Código de Trânsito Brasileiro -- média, quatro pontos e multa de R$ 130,16. As regras dizem que o motorista deve dirigir com os dois braços no volante, podendo segurar a direção com uma mão só quando precisar trocar de marcha, acionar as setas, equipamentos ou acessórios do veículo.

Além disso, transitar com o braço para fora "gera risco à segurança pessoal e da coletividade". De acordo com Burin, o descansa-braço da porta é ideal, já que permite que o condutor deixe o antebraço relaxado sem precisar tirar a mão do volante.


fonte:https://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2018/04/06/veja-10-habitos-ruins-ao-volante-que-podem-dar-multa-e-ate-causar-acidentes.htm